As eleições de 2020 vão ser mesmo adiadas?

No Brasil, o adiamento das eleições municipais de outubro 2020 e a possível unificação das mesmas retornam ao debate nacional, com o fim de priorizar a luta contra o coronavírus.

A postura da CNM sobre este adiamento das eleições de outubro 2020 defende a realização de adiar as eleições de prefeitos e de uma escolha única. Essa posição adotada pela CNM não é a única nesta linha já apresentou diferentes demandas e ações neste sentido.

Segundo o Estado, os parlamentares aprovam a ideia de escolher prefeitos e vereadores em outra data. A CNM defende um processo único no país a cada cinco anos, sem possibilidade de reeleição, modificando o processo vigente. Atualmente, os prefeitos, governadores e o Presidente da República podem ser eleitos por dois períodos consecutivos, cada um por quatro anos.

O presidente da CNM, Bladimir Aroldi, afirma que a suspensão das eleições é inevitável e que os recursos que custam as eleições devem ser utilizados para o combate da epidemia porque ainda não aconteceu o pior. Estima-Se que os picos do coronavírus serão nos meses de julho e agosto, os meses mais próximos à eleição.

Nesta mesma linha, os líderes das cidades tinham manifestado a necessidade de uma reforma para reduzir as despesas e custos financeiros, políticos e de campanha eleitoral.

Se bem que as posições sobre a decisão a tomar são variadas, já que, para as eleições que ainda falta, a CNM diz que hoje é necessário colocar toda a atenção para a epidemia.

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *